Texas Hippie Coalition: em Porto Alegre de sulista para sulista

Posted: 27 de Abril de 2013 in Reviews
Banda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie Coalition
Banda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie Coalition
Banda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie Coalition
Banda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie CoalitionBanda Texas Hippie Coalition

Texas Hippie Coalition – 04/2013, um álbum no Flickr.

TEXAS HIPPIE COALITION

Dhomba, Porto Alegre/RS (26/04/2013)

Como descrever um baita de um show desses? Um metal pesado maligno que parece feito diretamente para os gaúchos revoltosos. TEXAS HIPPIE COALITION compareceu ao Dhomba, nesta grande metrópole às margens do Guaíba na última sexta-feira, dia 26 de abril de 2013 pra mostrar que, bairrista por bairrista, eles têm muito que ensinar.

É claro e inegável que a noite foi tomada por problemas. O lugar do show foi trocado às pressas. Muita especulação tentou explicar o real motivo e nada convenceu definitivamente esse humilde repórter. O fato é que o show estava marcado para ser no Beco e trocando de endereço na última hora. E foi para uma casa muito pequena e mal preparada para o evento. O que acabou avalanchando em um espetáculo extremamente curto, com menos de uma hora de duração.

Abrindo passagem pros caras, a banda gaúcha WISHCRAFTT detonou os gorgomilos da gurizada mostrando seu trabalho. Muito dignos dos anfitriões e com uma qualidade musical avassaladora, a rapaziada ciceroneou muito bem e botou para verter sangue das artérias públicas logo de saída. Infelizmente foram prejudicados por toda a movimentação que já descrevi. Culminando em uma apresentação curta e com uma passagem de som claramente capenga.

Por volta das 21h os confederados mais “blood-roots” que já pisaram os pés no Brasil subiram ao palco e avacalharam. Caíram os butiás do bolso de todo mundo. Com uma simpatia e fúria dignas do melhor e mais bem-afinado “Red Dirt Metal” já executado em palcos internacionais, socaram seus riffs doentios do “country-metal” goela abaixo de uma relativamente grande legião de fãs doidos pelos caras (as motocicletas customizadas abarrotavam a frente da casa noturna). Entre os clássicos e maravilhas executadas pelo THC estavam: “Turn it Up”, “Outlaw” e “Texas Tags”. Sempre usando o público como coral.

Poréns à parte, qualquer roqueiro fica de alma lavada depois de assistir Big Dad Ritch (vocal) e John Exall (baixo) liderando Cord Pool (guitarra) e Gunnar Molton (bateria) naquela barulheira rock n’ roll devastadora. Convenhamos que os últimos listados são dois fedelhos que mandam bem as ganhas.

Uma pena que tenham ocorrido tantas desventuras nesta noite tão memorável. Tomara que, mesmo assim, os caras voltem e enriqueçam mais ainda o rock no sul do país. As portas estão se abrindo e queremos cada vez mais.

Setlist

01 – Hands Up
02 – 8 Seconds
03 – Outlaw
04 – Texas Tags
05 – Turn It Up
06 – Troublesome Times
07 – Damn You To Hell
08 – Don’t Come Looking
09 – Sex & Drugs & Rock And Roll
10 – Pissed Off And Mad About It

por Fernando Tedesco

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s